Elegia ao passado — Otto Spark

Dores, amores…
Relação tão próxima,
Como o preto às cores…
Sem mínima, sem máxima;
Eu alforrio pudores.

Demonstro agora, sem medo,
Sabendo que já não é mais cedo,
Sentimentos, presos a tanto tempo…
Agora voando pelo vento.
Soltos, como folhas, num outono distante…
Que agora se aproxima, chegará num instante!

Por isso encarnei, desatei a falar:
Falei que senti, falei que amei…
Falei que assenti, discordei e errei.
Falei que parti, falei que me joguei…
Falei que sorri no dia em que cheguei.

De nada adiantou, só me fez desabar.
Só me fez ter ódio, mergulhar no pesar.
Lembrei de cada instante que passei com o amor.
E que ele se foda, agora, junto com todo o pudor.

Otto Spark

Anúncios